Mitsu

Mitsu decidiu continuar pela rua escura e seguir com a brisa do vento. Por um momento observou a casa que esperava a sua volta, meio iluminada para dar a sensação de vida . Mas, hoje Mitsu não voltaria.

Talvez tenha sido o vento gelado, tão incomum para aquela época, que cortava seu rosto e esvoaçava seus cabelos, ou talvez tenha sido a sensação de liberdade que preencheu seu peito novamente depois de tantos anos. Não era como se não fosse livre, já tinha conquistado isso a um certo tempo e de uma forma que não se lembrava muito bem, assim como também não se lembrava de se tornar mais uma na multidão que se deixou levar pelo dia a dia , rotina e boletos (porque tantos?). No fim, Mitsu sabia que o dia terminaria da mesma forma, por mais “rebelde” que fosse, por mais que mudasse o trajeto de volta para casa num ato de impulsão talvez movida a Eduardo e Mônica tocando alto nos fones. Devia ser um sinal, não devia? Com certeza  essa mudança no trajeto resultaria em um presente do destino, não funciona assim?

Só que hoje não era pelo destino. Era por ela, pelo vento gelado, pela sua liberdade ou a breve sensação dela. Então, seguiu pelo bairro novo sendo acompanhada pela vista de um extenso pasto iluminado pelo luar e milhares de estrelas no céu que agora estava na cor exata dos seus cabelos,o que a fez sorrir brevemente. 

Enquanto serpenteava pelas ruas, Mitsu se lembrou de todas as vezes que planejou suas fugas na adolescência e pensou se na época o que buscava era essa sensação que agora lhe enchia o peito. Podia ir para qualquer lugar, mas uma urgência repentina lhe trouxe de volta, afinal que horas já eram? Tinha mesmo desligado a panela do fogo? O que ela estava fazendo ali? Tinha se esquecido da sua casa, seus afazeres? Sim, ela agora tinha essas “coisas” que tanto ouvia seus pais falar enquanto adolescente. Sempre mais e mais coisas. Movida por um aperto no peito Mitsu pedalou o mais forte que consegui até suas pernas queimarem. Não sabia exatamente em que ponto a iluminação tinha acabado mas agora o céu brilhava mais do que nunca e Mitsu era invisível em meio aquela escuridão e era exatamente isso o que queria .

Mergulhar na escuridão onde não podia mais se ver só sentir.

Um comentário sobre “Mitsu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s