Um argumento de roteiro

Ele abriu a porta da sala com uma certa insegurança, mas de cabeça erguida. Um calhamaço de folhas em sua mão direita, e, na mochila, um notebook com todas as suas ideias que ainda estariam por vir.
— Pode entrar, venha! — disse, cordialmente, um dos diretores sentados ao redor da grande mesa oval. Ele entrou e sentou. À sua frente, um diretor e um produtor de um grande estúdio.
— Nós analisamos o argumento do seu roteiro, e achamos muito interessante, Mathew.
— Uma história sobre um rapaz que envia um argumento de roteiro para uma grande produtora parece promissor — disse o produtor
— Nós estávamos pensando em um filme de Oscar, sabe. Uma história de superação que aqueça o coração da audiência, e incentive novos nomes para o mercado
Até então não deixaram o moço falar. Ele somente concordava. O roteiro no colo. As mãos suando.
— Então nos conte mais sobre a sua história. Queremos ouvir mais sobre esse personagem e o enredo
Mathew limpou a garganta. Deu uma última olhada na capa do roteiro. As palavras “making a film – by Mathew Rodney” em fonte de máquina de escrever. Toda a cena parecia um filme
— Bom…é uma história em construção. O argumento é apenas o primeiro ato, antes da primeira virada. — Ambos os executivos se entreolharam.
— Vai começar com ele escrevendo a história, e enviando um argumento de roteiro para um grande estúdio. Essa parte vocês já conhecem. Ele continua escrevendo outras histórias e enviando para outros roteiristas, mas nunca é chamado. E o ponto de virada é quando ele recebe uma ligação de um estúdio para aprovação do roteiro.
— É isso?
— É isso.
— Hum…interessante.
— E depois? — disse o diretor
— É como eu disse. Uma história em construção. Ele vai na reunião, e apresenta a sua ideia a dois executivos do estúdio — os dois se entreolham — e a ideia é muito bem recebida pelos diretores, senhores, donos da empresa.
Silêncio na sala. Ambos se entreolham novamente, como que esperando qual vai dizer alguma coisa.
— Tá. Qual é o argumento desse rapaz do filme?
— Não fica muito claro no começo da história, para prender a atenção do espectador. Mas é uma história em construção.
— E que história é essa que ele está escrevendo. Até o final a gente descobre?
— Sim, claro! É a história de um roteirista iniciante que envia um argumento de roteiro para um grande estúdio.
— E como é que termina essa história — disse o diretor, já de saco cheio.
— A que ele escreve, ou a do filme?
— As duas.
— Estou trabalhando bastante na cena da reunião com os diretores, sabe. Mas tenho quase certeza de que ele é aprovado, rodam o filme dele e ele se torna um grande roteirista de Hollywood.
Novamente, um silêncio na sala. Mathew começa a bater na mesa com a unha.
— Mathews, a gente vai pensar melhor no assunto. Depois a gente volta a te ligar, tudo bem?
Ele abre o roteiro, tira uma caneta do bolso e começa a escrever.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s